terça-feira, fevereiro 14, 2012

Minha busca pela felicidade, a fera está saindo de meu controle!

7
As vezes fico pensando que para mim já chega, tudo bem tenho ainda 30 anos de vida e certamente 95% da população mundial falará para mim que ainda sou muito novo, que tenho muito para viver ainda, os outros 5% são aquelas pessoas que preferem não se misturar com gente maluca, então nem sequer se manifestam. Mas sempre que esse pensamento me vem a cabeça e, venhamos e convenhamos, esse é um típico pensamento de pessoas depressivas criadas dentro de uma cultura espiritualista, visto que torna-se bem mais fácil fugir para a morte quando acredita-se que ela é apenas um recomeço, toma-me de assalto um novo pensamento: Não está na hora ainda, afinal falta eu viver uma coisa que ainda não vivi!
Por mais que esses meus trinta anos de existência terrena pesem o dobro em meus ombros, fazendo com que eu me sinta um velho ranzinza, machucado demais pela vida para poder sorrir, falta-me algo muito importante para viver, a felicidade, é esse pensamento que me mantém acordado, se não fosse ele acho que eu iria continuar dormindo.
Como diria Belchior, um analista amigo meu, ao avaliar-me disse-me:

- João, você nunca teve espaço na sua vida para ser feliz!

Essas palavras calaram fundo, pois como qualquer ser humano eu acreditava que mesmo com os revezes da vida, eu havia tido folgas para praticar a felicidade, mas quando olhei para dentro de mim com a ajuda desse meu amigo, quando observei que aquela sensação de aperto no peito sempre me acompanhou, desde tenra idade até hoje, ao ponto de eu me acostumar com ela e não mais perceber o quanto ela é nociva ao meu organismo, percebi que os problemas jamais cederam espaço para a felicidade, que a vida por algum motivo que não sei explicar, sempre cobrou-me preços muito altos.

Quem já leu meu livro, O Diário das Revelações, sabe do que estou falando. Cresci num lar desestruturado, com menos de cinco anos tive que deixar minha mãe para ir junto de minha irmã, morar com meu avô e sua segunda família por um motivo que até hoje me causa dúvidas, depois voltei a morar com minha mãe que naquela altura já estava junto de um homem alcoólatra que foi meu único exemplo de pai. Desde cedo senti o que é ter o coração dividido, pois enquanto estava com minha irmã na casa de meu avô, sentia muita falta de minha mãe, quando fui morar com ela novamente, sentia muita falta de minha irmã que ficara com meu avô. Quando finalmente nos juntamos novamente, fomos morar num porão sujo, entregues a toda sorte, quando saímos daquele porão fomos morar numa periferia da cidade de São Paulo, lá o simples fato de eu ser uma pessoa educada fazia com que as pessoas a minha volta questionassem minha integridade moral, nunca fui “mano” e só “mano” se dava bem por lá. Quando comecei a trabalhar, nunca tive paz suficiente para desempenhar um bom trabalho, para ser um bom profissional, minha casa que deveria ser meu porto seguro era na verdade apenas a fonte mor de minhas preocupações, nunca tive um porto seguro e digo isso pois, de acordo com o que aprendi com esse analista amigo meu, não há como ser um bom profissional e ter um bom desempenho seja em escola ou trabalho, quando não se tem um lugar em paz e seguro para voltar todos os dias.

Quando resolvi me casar, cedo sim hoje concordo com isso, mas mesmo assim o fiz conscientemente, fui cercado por um bando de gente que come ovo e arrota caviar e cometi o erro de aceitar ser ajudado por eles. O preço? Toda sorte de humilhações, acho que nunca paguei tão caro por um prato de comida quanto naquela época. Aceitei ser condicionado a todo tipo de regras e costumes, morei onde achavam que eu tinha que morar, me vestia como achavam que eu tinha que me vestir e busquei ter um comportamento como achavam que eu tinha que me comportar, mesmo agindo de forma falsa e por consequência pouco duradoura. A vida me ensinou a ser assim, uma fera por dentro e um cordeiro por fora, o problema é que ela nunca me mostrou como libertar a fera. Agora, sinto essa fera cavando sua saída por entre minhas vísceras, tramando sua fuga e libertando-se por conta, sem controle e pronta para atacar quem se por em seu caminho. Será que isso é bom? Não sei, só posso dizer que a fuga é inevitável.

Houve um momento em minha vida que acho que cheguei bem próximo da felicidade, eu cuidava apenas de mim e de minha esposa, tínhamos bons empregos e meu contato com tudo e todos aqueles que me faziam mal era mínimo, chegando as vezes ao ponto da inexistência! Como era bom e como foi rápido para piorar tudo de novo, bastou a necessidade de buscar um simples móvel na casa de minha mãe, foi quando eu percebi que ela estava magra demais e com os olhos cheios de pedidos de ajuda, por mais que seu orgulho não a permitisse verbalizar isso. Desse ponto em diante, foram dois anos de mais sofrimentos e aquele menino que crescera sem a presença de um pai, com vinte e seis anos de idade viu sua mãe ter suas forças minadas pelo câncer que se espalhava em seu corpo, ao mesmo tempo em que mesmo sendo o único a cuidar dela de forma incondicional, ouvia barbaridades de seus parentes.

De fato esse velho de palavras tão lamentosas, incorporado no corpo de um moço de apenas 30 anos, precisa aprender ser feliz, pois há felicidade nesse mundo, é nisso que acredito e é ela que eu quero encontrar, é dela que eu preciso para voltar a ter apenas 30 anos de idade.

Que a fera que está dentro de mim se liberte e que ela ame quem quer amar e que ela destrua quem deseja destruir. Eu nunca soube controlá-la apenas prendê-la e agora que ela se liberta das correntes de minha hipocrisia, que ela seja eu e que esse meu atual eu seja destruído por ela. 

A única coisa que desejo nesse mundo é ser feliz!

João Fernando.
14/02/2012

7 Response to Minha busca pela felicidade, a fera está saindo de meu controle!

16 de fevereiro de 2012 13:38

João,
Nossa poderia falar horas sobre minha opinião, mas o que desejo dizer é que sim, há felicidade nesse mundo e todos deveriam aproveitá-la. Não sei como é viver dessa maneira com a qual cresceu, pois tive a sorte de não ter de passar por isso. Porém dizem que as coisas que nos acontecem, acontecem porque conseguimos suportar. Não tenho como dizer se essa frase popular é verdadeira, mas desejo que seja, para que quando você viver a felicidade possa dar um extremo valor a ela e jamais querer perdê-la de vista. Quando a encontrar venha nos contar também.

Beijokas Elis!!!! Vou postar sua entrevista dia 06/03...desculpe a demora havia outras na frente.....se cuida amigo....
http://amagiareal.blogspot.com/

16 de fevereiro de 2012 21:38

Elis, fico feliz por vê-la por aqui. Saiba que sempre estou dando uma espiadela no Magina Real e não muito raro assistindo seus vídeos.

Obrigado por suas palavras.

20 de fevereiro de 2012 01:57

João meu amigo, sei que assim posso chamá-lo, sabe eu sei o quanto foi difícil a sua vida, desde a infância, sei da tua luta para conseguir espaço, para tentar ser um pouco do que você era e é, sei bem de teus sofrimentos e sei o quanto você foi depreciado por aqueles que deveriam te apoiar, mas sabe meu amigo, eu costumo te citar como alguém que é nada mais nada menos que um VENCEDOR o que é raro nesta vida. Veja você conseguiu manter a sua integridade moral apesar de tudo te empurrar para baixo, você soltando ou não a fera, vai sempre queira ou não jogar o jogo da vida de forma muito limpa e honesta, porque isto simplesmente é você, limpo e honesto,tanto que me perdoe mas o Pai te agraciou com a tua companheira de luta, que sempre esteve do teu lado, que também deve ter seus anseios, seus sonhos, seus questionamentos, mas que está aí te apoiando, muitos não têm isto não, é um tesouro incalculável. Talvez isto não seja um consolo, e não é pra ser, muito pelo contrário é para ser um incentivo a tua luta, olha você acreditando ou não venceu muitas lutas em tua vida e agora nesta nova fase que por mais difícil que esteja, você verá um novo eu seu surgir, este eu muito especial, será mais sábio que o outro, porque acumulará as qualidades que sempre teve mais o aprendizado que tuas lutas te trouxeram, defeitos lógico que você os tem, como todos nós temos. Eu visualizo um principal, você tem que dar uma oportunidade a você e ao mundo, este mundo que tanto te feriu, nem todos são como aqueles que te feriram, muitos também foram feridos como você, muitos enfrentam suas dificuldades, mas se a felicidade não está por completo em sua vida, tenho certeza que existe pequenos momentos felizes, mas se você voltar-se para dentro de si mesmo, verá que você tem dentro de você a CENTELHA DIVINA, Deus mora portando dentro de ti, e você tem as suas qualidades, portanto como eu, e como todos, você é poder, você é glória, você é sabedoria, você é amor, você é perdão,você é felicidade, você é paz, você é perfeição. Acredite, eu toda noite faço com o meu Luiz, este mantra, EU SOU PODER, eu sou ...... e falo tudo o que disse acima, para o meu Luiz eu coloco eu sou cura eu sou saúde. Sabe que tudo melhorou, depois de duas semanas que comecei a fazer, inclusive se ele estiver com dor ele melhora. Meu amigo acredite, MAIOR É DEUS VOCÊ É SEU FILHO E PORTANTO VOCÊ ALCANÇARA TUDO O QUE DESEJA DESDE QUE ESTE TUDO ESTEJA DENTRO DAS LEIS DO AMOR e não de leis de qualquer religião que possa existir.
Você é um exemplo vivo que o meio não consegue apodrecer aquele que tem a semente viva do amor dentro de si, você é guerreiro da luz vitorioso,com certeza, eu sei disso, eu sei que ainda verei você dono de si, em plena realização de teus sonhos, um grande abraço com muita energia de amor e realização, beijos Luconi (não vale ficar bravo comigo)

24 de fevereiro de 2012 01:13

Márcia, não há motivos para eu ficar bravo com você. Li muito bem seu comentário nesse post, como faço inclusive com todos os comentários que me enviam e gostei muito daquilo que li.
Sou um vencedor e sei disso, basta que eu olhe meu passado e me perceba atualmente, já venci muitas batalhas e por mais São Tomé que eu possa ser, tenho provas suficientes de que sou forte. Acontece apenas, que como todo mundo, sinto-me fraquejar e quando essa fraqueza vem, tenta levar consigo minha fé e alguns outros bons sentimentos, jamais ela me venceu, mas já deixou-me várias cicatrizes.
Devo dizer que a Fera é algo bom para mim, talvez não seja para os outros, mas para mim a fuga dela, mesmo sendo dolorosa, fará muito bem.
Ademais, acredito que cada um de nós sente a própria dor de um jeito diferente, um jeito único que só quem sente é capaz de entender completamente, logo, essa é apenas uma de minhas formas de sentir e lamentar minha dor, pode até ser compreendida por outras pessoas, mas jamais completamente.
Por fim, fiquei muito feliz ao saber que conhece o poder do EU SOU, suas emanações fluídicas são muito fortes e considero o EU SOU o Pai/Mãe do positivismo. Como já te falei anteriormente, estudo já há alguns anos esse seguimento, através da ajuda de alguns amigos maçons e da Fraternidade Branca. Tive a benção de, em sonho, vivenciar a beleza indescritível de ver uma hoste com centenas de anjos do sétimo raio, cruzando o céu. Ainda sou um pequeno grão de areia em meio a tanto conhecimento, busco praticar o positivismo constantemente em minha vida e tenho certeza de que um dia eu chego lá!

Paz e Luz!

8 de julho de 2012 00:26

João com saudades vim ler um pouquinho de tua alma, mas você não postou mais nada, que pena, beijos Luconi

9 de julho de 2012 07:34

Que belo trabalho, João! - Abração

20 de março de 2014 21:11

Me sinto solitaria n vejo motivos para viver ja machuquei uma turma inteira destrui 1 escola machuquei uma professsora tudo por causa de uma besta que se esconde na escuridao deus me abandonou na motivos para viver deixo essa mensagem para quem tiever problema orar por deus a morte me aguarda irei me suiçidar para n machucar mais ninguem

Postar um comentário